Nota da CNA POA

Achamos que a informação sobre o que acontece no RIO é muito importante. Se bem os companheirxs foram liberados com o recurso de habeas corpus, elxs ainda tão sendo processados e desenrolar todo o que aconteceu com eles sempre ajuda para uma maior segurança. Só olhando bem os erros, as fraquezas podemos nos posicionar em uma confrontação menos desigual contra a repressão e a sociedade carceraria que dia-dia é mais grande. agradecemos a companheirx que mandou a informação com a que contamo agora.

Força a para xs que resistem e combatem!

Atualização da informação sobre Rio de Janeiro e alarma pelas colaborações com a policia.

No dia 23 de Julho o habeas corpus foi novamente concedido (após das apelações contra o primeiro habeas corpus), xs cinco que ainda estavam presxs foram soltxs e xs foragidxs puderam voltar, assinando termos de responsabilidade com determinações como a proibição de sair do Rio de Janeiro, entregarem seus passaportes para a ‘justiça’, comparecerem ao tribunal quando foram chamadxs, etc..

A maioria das pessoas presas fazem parte de organizações formais e com alta visibilidade, como a OATL (Organização Anarquista Terra e Liberdade) e o MEPR (Movimento Estudantil Popular Revolucionários – que é maoista, entre outras e tão sendo acusadas de organização criminosa, depredação, porte de artefato explosivo, corrupção de menores, de serem pontes entre organizações sindicais (dsx pofessorxs, rodoviárixs etc)e os atos/manifestações, incitação ao crime, destruição de 500 ônibus na greve dxs rodoviárixs, etc, mas principalmente de serem xs mentores das manifestações violentas.

Na saída dxs prexs em Bangu teve treta com a mídia, algunxs compas tentaram impedir xs abutres-jornalistas de seguirem com o circo.. o que acabou dando mais munição para a argumentação de que se tratam de margináis perigosxs e violentxs..

No meio dessa merda toda, ficou se sabendo alguns nomes, de delatorxs..uns desconhecidxs, outrxs que foram bem próximos, pessoas que faziam parte das mesmas organizações incriminadas deu vários nomes e “funções”…

Fora disso, a maioria das pessoas que foram denunciadas e presas também estavam com o telefone grampeado, e, mesmo com outras pessoas falando sobre cultura de segurança, deram moles gravíssimos, e acabaram botando pessoas que sim se preocupam com sua segurança, na reta das investigações.

A repressão e a caça da bruxas ainda se vive no Rio, informar para não ser cômplices da policia é importante assim como a solidarizar e a firmeza contra a policia.

A traição, a delação, a difamação não podem ganhar espaço em nossos espaços autônomos, em nossas individualidades por isso mesmo é preciso ataca-las, discuti-las, saca-las na luz e elimina-las para que não se repitam. Ao deixar passar por alto esse tipo de atitudes estamos endossando as mesmas.

 

 

Advertisements